quinta-feira, 20 de março de 2008

Amigo Frango


Queria mesmo era ver a parte de baixo e descobrir se, amarrado à perna esquerda - perna graveto, secura nos pés –, tem um barbante bem forte que limita o amigo ao raio da corda.

Com barbante ou sem barbante dizem que por entre as orelhas do galo (e galináceos têm orelhas?) só passa vento... E quem só guarda vento na cachola, e não segue o pensar catalogado pelos grandes, perde o direito de sentir e de ser, e de andar em linha reta como quem quer seguir a vida e só.

Amarram o pé no barbante, amarram o barbante na estaca.

E fim.

Pobre amigo-frango. Criei, para ele, uma estória que é pura tristeza.

(texto de Amanda Horta e ilustração de João Marcelo Paca)